Main menu

Skip to content

Mariana Ximenes faz ensaio de capa de revista em versões ele e ela

Fabio Bartelt/Revista Glamour
Fabio Bartelt/Revista Glamour
Fabio Bartelt/Revista Glamour
Fabio Bartelt/Revista Glamour

A atriz Mariana Ximenes é a capa de junho da revista Glamour, dedicada ao amor. Na publicação, a atriz aparece em duas versões: feminina e masculina. A edição especial da revista, por conta do Dia dos Namorados, traz uma entrevista mostrando o lado masculino da atriz, além do depoimento dos cinco homens e mulheres que mais a inspiram. Nomes como Claudia Raia, Zeunir Ventura, Morena Leite, Giovanni Bianco, Guilherme Weber, Claudia Jouvin, Jorge Bastos Moreno, entre outros falaram sobre Mariana. Confira um pouco do que você vai poder ler nas páginas de Glamour, em breve:

Glamour – Mari, usando o gancho do nosso ensaio, qual seu lado masculino?
Mariana Ximenes – Acho que de tomar a frente e resolver as coisas. Mas isso é um pouco feminino também, não?

E o lado masculino que queria ter?
A praticidade ao me arrumar. Me dá uma inveja, no bom sentido, mas uma inveja, sim, dos homens que chegam pra gravar e só demoram 5 minutos pra ficar prontos! Eu demoro 2h! Faço cabelo, maquiagem…

Que peça “masculina” é muito você?
Abotoadura. Acho lindo.

Que estilo teria? Barba? Peito depilado?
Depilar o peito, jamais! Acho que iria mais para o estilo descolado, moderninho.

E se fosse um rockstar, qual acha que seria?
David Bowie. Mas também fiquei muito mais fã dos Rolling Stones quando vi o show da última vez. Fã de todos eles.

Quem estaria no seu clube do bolinha?
Johnny Depp, Wes Anderson, Tarantino, Zeca Camargo, Guilherme Weber, Wagner Moura e Gregório Duvivier. Ah, Jorge Bastos Moreno, amorda minha vida! E Caetano, Laerte, Nelson Leirner. Imagina a conversa!

O que nunca faria com uma mulher se fosse homem?
Deixar de ligar no dia seguinte e de ser gentil. Gosto muito de gentileza…

O que admiraria numa mulher?
A coragem, a delicadeza, a força, a poesia. E a sensibilidade!

Como a conquistaria?
Teria romantismo. Mas no dia a dia. Na conquista, você foca, aí quando consegue… esquece. E acho importante lembrar que o amor tem que ser regado todos os dias.

Que coisa faz como mulher que não faria como homem?
Não depilaria, não tiraria a sobrancelha… Essas funções “femininas” tomam um tempo danado.

E o que manteria com certeza?
A força, a coragem e a capacidade de cuidar do outro que eu tenho. Gosto de cuidar. E isso falta em muito homem.

Sua máxima seria “homem que é homem…”
… também é sensível!

A matéria na íntegra poderá ser conferida na revista Glamour de junho.

Share Button
Postado por
Kassandra Valduga
em
30/05/2016 as 13:05
na categoria
Lifestyle